ANVISA pede que pessoas usem máscaras, mantenham distanciamento e higienizem as mãos para evitar propagação de Variola

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu um alerta para a necessidade do distanciamento, uso de máscaras e higienização frequente das mãos em aeroportos e aeronaves a fim de retardar a chegada do vírus da varíola no país.

Nesta terça-feira (24/05), a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou que os registros da doença já chegam a 131 casos confirmados e outros 106 suspeitos fora do continente africano (região onde a doença é endêmica).

A Organização ainda disse que “embora o surto seja incomum, ele permanece contido e limitado”. E que está convocando mais reuniões para apoiar países com diretrizes sobre como lidar com a situação.

No Brasil, ainda não há casos registrados. Além disso, uma sala de situação para monitorar o cenário do vírus no país foi instituída pelo Ministério da Saúde.

Casos suspeitos da doença já foram registrados na Argentina, no domingo (22). Segundo cientistas, o desequilíbrio ambiental pode estar por trás do atual surto, mas não veem razão para pânico.

De acordo com uma autoridade sênior da OMS, a instituição não acredita que o surto de varíola dos macacos fora da África exija vacinações em massa, uma vez que medidas como boa higiene e comportamento sexual seguro ajudarão a controlar a propagação.

VARÍOLA😷

A varíola é uma doença altamente transmissível, original de roedores silvestres, mas isolada inicialmente em macacos. No geral, os sintomas iniciais da varíola são bastante similares ao de uma gripe e incluem, por exemplo, febre, dor de cabeça, mal-estar e dores musculares.

Depois, o vírus se espalha pelo corpo por meio do sistema linfático e surgem manchas avermelhadas por toda parte. Essas manchas evoluem para pústulas e bolhas repletas de líquido por todo o corpo, inclusive em locais como a mucosa nasal e a mucosa da boca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.