Banco Central não pretende cobrar pelo uso do PIX

O PIX, desde seu lançamento em 2020, se consolida cada vez mais enquanto sistema de transferências. Com a divulgação de novas ferramentas, muitas pessoas estão se perguntando se o serviço deixará de ser gratuito.

O sistema apresenta inúmeros benefícios para os brasileiros, como o aumento da competitividade do mercado, incentivo a eletronização, promoção da inclusão financeira, dentre outros.

Outro fator muito importante do PIX é a não limitação do valor de transferências, ou seja, podem ser realizadas transações a partir de R$ 0,01.

Até o momento, não há nenhuma divulgação oficial que trate sobre a cobrança do serviço. O Banco Central, inclusive, defende a ideia de que o PIX continue seguindo a proposta da gratuidade.

Com o sucesso do PIX, o Banco Central estuda lançar novas ferramentas para o serviço. Algumas delas são:

– PIX Garantido (lançamento confirmado para 2023);

– Pagamento por aproximação;

– Cobertura internacional;

– Débito automático.

O sistema de transferência instantânea também já conta com duas diferentes modalidades: o PIX Saque e o PIX Troco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.