Justiça julga improcedente ação contra prefeita de Camocim, Betinha Magalhães

 

O Juiz Tiago Dias da Silva, da 32ª Zona Eleitoral de Camocim, julgou improcedente a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), protocolada pela candidata à prefeita derrotada nas eleições de 2020, Euvaldete Ferro, que pedia a cassação dos mandatos da prefeita Betinha Magalhães, do vice-prefeito Dr. Ismael Pinheiro e a inelegibilidade da ex-prefeita Monica Aguiar.

Na decisão, o magistrado declarou que, após audiências realizadas para oitiva de testemunhas, não foram apresentados elementos para sustentar o alegado na petição inicial.

“Não restou comprovado de forma inconteste que as ações da Sra. Monica Aguiar teriam beneficiado os candidatos por ela apoiados e, consequentemente, desequilibrado o pleito. Tampouco restou comprovado o alegado caráter eleitoreiro. O que se compreendeu da análise dos autos é um conjunto probatório frágil e, desse modo, não vislumbrou nos autos, ato com aptidão a avocar as graves sanções de cassação de diploma ou declaração de inelegibilidade dos investigados. Ademais, o abuso de poder não pode ser presumido, devendo vir ancorado em provas robustas e incontestes da gravidade da conduta a macular a legitimidade e lisura do pleito, o que, a meu sentir, não restou comprovado na espécie”, disse o Juiz em sua sentença.

Para o deputado estadual Sérgio Aguiar, a vontade do povo é soberana e a ação na justiça, impetrada pela oposição, apenas buscava tumultuar o ambiente do pleito, e que a prefeita Betinha Magalhães (PDT) e o vice, Dr. Ismael Pinheiro (PSD) têm uma gestão bem avaliada, trabalhando de forma comprometida e buscando melhorar a qualidade de vida para seu povo e o desenvolvimento do município.

(com informações da Folha do Sertão)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.