Vice prefeito de Fortaleza diz que “ Governadora precisa liderar esta sucessão, pacificar o partido e construir o consenso para enfrentar a oposição”

Confira a nota na íntegra:

Como Governadora, Izolda Cela é a maior liderança do Estado e do PDT. O processo de escolha do candidato do PDT foi soberano, democrático e legítimo. Todos os pré-candidatos aceitaram as regras do partido. O escolhido para dar continuidade ao projeto foi o ex-prefeito Roberto Cláudio. Agora, a Governadora precisa liderar esta sucessão, pacificar o partido e construir o consenso para enfrentar a oposição. Este é o preço da liderança e da responsabilidade do cargo. A sua determinação em ser candidata à reeleição inspirou e criou esperança em muitas pessoas. Inclusive dentro do PDT. O que motivou o presidente da AL, Evandro Leitão, do PDT a tomar atitudes corajosas em defesa da sua candidatura. Mas também os deputados Salmito Filho, Romeu Aldigueri, Jeová Mota, Idilvan Alencar, dentre outros. Somente a liderança da Governadora pode construir a unidade partidária e evitar perseguições ou retaliações.

O Ex-Governador Camilo Santana se engajou na defesa da sua reeleição por conta da extrema lealdade ao Ciro, Cid e Ivo. A Governadora Izolda Cela tem relações políticas e afetivas com a Família Ferreira Gomes há décadas. Existem relações de confiança e fidelidade muito fortes entre ela e eles. Foi também a confiança, a cumplicidade e os laços afetivos construídos em sete anos e quatro meses que motivaram o Ex-Governador Camilo a defender publicamente o nome da Governadora Izolda Cela junto aos membros do Diretório do PDT. Mas agora é passado. O direito legítimo de concorrer é do Ex-Prefeito Roberto Cláudio e a busca da unidade partidária e formação da aliança da Governadora Izolda Cela. Uma vez que a sucessão é dela, ela pode escolher outros caminhos. Taís como, desfiliar-se do PDT e filiar-se ao PT ou ao MDB, PP, PV, PC do B para lançar um outro candidato junto com outros partidos. Rompendo em definitivo com o Ciro, o Cid e o Ivo. Também pode, mas é altamente improvável, aliar-se com os partidos de oposição bolsonaristas no Estado.

O PSB decidiu no Diretório Estadual que apoiaria qualquer candidato indicado pelo PDT para Governador e pelo PT para Senador. Eu, como membro do Diretório Estadual e Nacional, seguirei a orientação do meu partido. Como filiado devo sempre fortalecer a unidade e buscar formar alianças, como é a regra em regimes pluripartidários. Nosso adversário são as forças reacionárias que estão destruindo nosso País. Nossa luta é para melhorar a vida de todas as pessoas, não deixar ninguém para trás, construímos um modelo de sociedade ativa, inclusiva, próspera, democrática, diversa, coesa e sustentável. Temos grandes desafios pela frente e precisamos de grandes líderes para nos inspirar, motivar e esperançar. As democracias mais consolidadas do mundo estão vivendo grandes turbulências provocadas por uma era de transição e crises: sanitária, social, econômica e ambiental. São tempos sombrios e desafiadores. Aqui no Brasil temos uma democracia jovem, frágil e ameaçada por movimentos autoritários e populistas. Portanto, nossas responsabilidades são maiores como lideranças políticas.

A liderança traz consigo prestígio, status e oportunidades para viver bem e com dignidade. Mas traz ainda mais responsabilidades perante os liderados que são inspirados e motivados pelo líder, atrelando os destinos de todos numa única direção. O Ceará precisa neste momento da liderança inspiradora da Governadora Izolda Cela para conduzir sua sucessão e urge que ela se posicione em defesa da unidade do PDT e da aliança partidária.

José Élcio Batista

Membro do Diretório Estadual e Nacional do Partido Socialista Brasileiro (PSB)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.