Perda de apoio e medo de prisão fazem Bolsonaro tentar reatar com STF

O presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, e seus emissários no Planalto, estão tentando se aproximar do STF (Supremo Tribunal Federal) às vésperas da disputa deste ano. São doi os motivos para isso: o medo de o chefe do Executivo ser preso e a percepção de que o governo está perdendo apoio. O ministro da Economia, Paulo Guedes, e a presidente da Caixa Econômica Federal, Daniella Marques, estão entrando em contato com integrantes da Suprema Corte. Acham que o clima se deteriorou muito, apurou o site Poder360.

O manifesto em defesa da democracia, que já conta com 100 mil assinaturas, foi um dos sinais de alerta. Banqueiros, empresários, onze ex-ministros do Supremo e personalidades em geral aderiram ao movimento organizado pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Os organizadores buscam o apoio de todos os magistrados que já estiveram no Supremo.

O MANIFESTO

O manifesto recebeu o nome de “Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito”. Será lido em evento a ser realizado em 11 de agosto, no Pátio das Arcadas do largo de São Francisco. O texto critica o que considera “ataques infundados e desacompanhados de provas” que questionam “o Estado Democrático de Direito” e a lisura do processo eleitoral.

“Assistimos recentemente a desvarios autoritários que puseram em risco a secular democracia norte-americana. Lá as tentativas de desestabilizar a democracia e a confiança do povo na lisura das eleições não tiveram êxito, aqui também não terão”, diz o documento.

O site Poder360 apurou que houve 398 tentativas de ataque hacker ao site da Faculdade de Direito da USP, que hospeda o formulário de adesão ao manifesto. Por causa disso, foi necessário reforçar a segurança para que o portal seguisse no ar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.