Ceará fecha 2020 com saldo de 18,5 mil vagas de empregos e ocupa a 2ª colocação no NE e a 8ª no país, respectivamente

O Ceará, apesar do ano difícil da pandemia do Corona vírus, ficou na sétima posição no ranking nacional e em primeiro no Nordeste dentre os estados que mais geraram empregos com carteira assinada (empregos formais) no quarto trimestre de 2020. Já no acumulado do ano, o Estado obteve a oitava colocação no Brasil e a segunda no Nordeste dentre os estados com maiores saldos positivos.  O Ceará gerou 74.663 vagas e perdeu 56.117, resultando em um saldo de 18.546 empregos formais. O mercado de trabalho cearense, a exemplo do que ocorreu com os demais estados brasileiros, foi muito afetado pelas medidas de combate a pandemia do novo Corona vírus, necessárias para evitar maior número de pessoas contaminadas e de mortes.

A perda de vagas no Ceará ocorreu no auge da crise, entre os meses de março e junho de 2020. No entanto, logo após o relaxamento das medidas de isolamento social, o mercado de trabalho do Ceará reagiu e apresentou uma boa recuperação, quando foram as criadas 65.126 vagas, resultando no saldo positivo. As constatações estão no Ipece Informe (Nº 190 – Fevereiro/2021)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.