Lula será grato a Ciro Nogueira por manter Bolsonaro no páreo

O senador Ciro Nogueira (PI), presidente do PP e chefe da Casa Civil do governo, parece indignado com a história de que existiria um Centrão do bem, o que se dispõe a apoiar Lula para presidente, e o Centrão do mal, o que apoiará a reeleição de Jair Bolsonaro.

Não se sabe de onde ele tirou isso. Lula nunca fez tal distinção. Procura entender-se com os que possam ajudá-lo a derrotar Bolsonaro e sua milícia. No passado, Nogueira aliou-se a Lula e a Dilma, e chamou Bolsonaro de fascista. Quem mudou?

Não existe Centrão do bem e Centrão do mal, só existe Centrão, o grupo fisiológico de partidos que, em troca de favores, sinecuras e de muito dinheiro, está sempre disposto a apoiar o governo, seja ele de direita ou de esquerda. Nada de pessoal, negócios são negócios!

Nogueira, Arthur Lira (AL), presidente da Câmara, e outros líderes do PP fizeram as contas e concluíram que desta vez seria mais lucrativo juntarem-se a Bolsonaro. Hoje, mandam em uma gigantesca parcela do Orçamento sem dar satisfações a ninguém.

Amanhã, se Bolsonaro não se reeleger, não tem problema. No Congresso, a princípio, estarão à disposição do novo presidente para aprovar tudo que seja do interesse do país. No momento seguinte, se o presidente julgar necessário, entrarão no governo.

Nogueira não gosta de brigar com ninguém, nem mesmo com sua mulher. Se partiu para dar estocadas em Lula foi porque Bolsonaro não sabe fazer política, nunca soube, e sairá do governo sem saber. Alguém terá que fazer isso por ele, e Nogueira se ofereceu.

Lula é o candidato da conversa, Bolsonaro da controvérsia. Lula é o candidato da conciliação, Bolsonaro do desacordo. Enquanto Lula tem um partido que fundou e lidera, Bolsonaro aluga um para chamar de seu, depois de ter passado por meia dúzia de outros.

Fonte: Blog do Noblat

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.