Aposentados e pensionistas não terão mais que fazer a chamada prova de vida presencialmente

Durante a cerimônia de anúncio nesta quarta-feira (2) no Palácio do Planalto, o presidente do INSS, José Carlos Oliveira, explicou que aposentados e pensionistas não terão mais que fazer a chamada prova de vida presencialmente. O novo formato passa a valer a partir da publicação da portaria no Diário Oficial da União (DOU) para as pessoas que fazem aniversário no dia, mas ainda não informou a data para a divulgação. O INSS tem até 31 de dezembro deste ano para implementar as mudanças necessárias.

Quase 35 milhões de brasileiros precisavam ir todos os anos aos postos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) apenas para provar que estavam vivos. A prova de vida é obrigatória para aposentados, pensionistas e para quem recebe benefícios do INSS por meio de conta corrente, poupança ou cartão magnético. O procedimento serve para evitar fraudes e garante a manutenção do pagamento.

O intervalo para o rastreio é de até 10 meses após o dia de nascimento desses pensionistas e aposentados. O governo vai cruzar dados municipais, estaduais, federais e até privados para captar as movimentações dos segurados. O presidente do INSS deu alguns exemplos que servirão para o governo comprovar que uma pessoa está viva:

– Renovação de passaporte;

– Tirar carteira de identidade ou renovar o documento;

– Comprovação de voto;

– Transferência de imóvel;

– Transferência de veículo;

– Operação na iniciativa privada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.