Presidente do Banco Central se diz surpreso com inflação de março

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta segunda-feira (11) que o resultado de março do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (IPCA), a inflação oficial, foi uma “surpresa” para a instituição. Puxada pela disparada dos preços dos combustíveis, foi a maior taxa para meses de março desde 1994, antes mesmo da implantação do Plano Real.

“A gente teve um índice mais recente que saiu [inflação de março], que foi uma surpresa. E aí, mais do que a surpresa do número em si foi a aceleração da passagem do preço de gasolina pra bomba. A gente viu uma aceleração diferente do que a gente vinha, até então uma aceleração um pouco mais intensa. Mas isso aí só faz na verdade transferir um pouco da inflação de um mês pro outro”, disse.

“Foi uma surpresa curiosamente que se deu em vários países. Eu acho que a gente vai agora olhar, analisar e ver os fatores que estão gerando essas surpresas inflacionárias e a gente vai comunicar isso aí no momento que for mais apropriado. Mas a realidade é que a nossa inflação está muito alta, o núcleo está muito alto”, acrescentou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.